Paysandu encara o Luverdense pela Copa Verde

Copa Verde

Foto: Divulgação/Arquivo

O Paysandu e o Luverdense-MT iniciam hoje a caminhada para a conquista da IV Copa Verde, na Arena Pantanal, às 20h30, em Cuiabá. A partida promete ser bem equilibrada. O Verdão do Norte busca o título inédito e o Papão quer ser bicampeão. Com três desfalques, por causa da agenda intensa de jogos, o Paysandu deve entrar em campo reformulado para alcançar o objetivo que é vencer o rival e trazer para o jogo de volta, em Belém, a vantagem, pois na Copa Verde gol fora de casa tem peso nos desempates.

Rodrigo Andrade deve entrar no lugar de Wesley. Will ou Jhonnatan no meio, se Chamusca optar por não colocar três atacantes, já que Bergson não viajou. Lombardi deve aparecer no lugar de Gilvan. O técnico ainda pode poupar Augusto Recife colocando Ricardo Capanema. Ele também pode optar por Cearense no lugar de Alfredo.

São as soluções que Chamusca está buscando para suprir a falta dos três jogadores que ficaram em Belém.

“A cabeça do treinador não para. O professor Carlos Alberto Parreira diz que ‘o treinador nunca está em off, ele fica em stand by. Até quando eu estou com minha esposa no cinema eu penso no jogo. Ela não gosta. Há duas formas de jogar. Uma com o dez raiz, meia central próximo do nove, e com o posicionamento dos três volantes que foi muito bem. E utilizamos o tripé, com três volantes. Nós podemos utilizar qualquer uma das duas variações. Tenho Capanema, Rodrigo Andrade. Posso trabalhar com o meia central e dois atacantes. Tenho a possibilidade de alterar o 9 e dar oportunidade ao Cearense, que jogou menos que o Alfredo”, analisou o técnico do Paysandu.

Com tantas opções, Marcelo Chamusca avalia que a situação de onde colocar cada jogador é um jogo de xadrez. “Eu não vou revelar quem vai jogar, porque temos dúvidas. Eu vou trabalhar pouco hoje (ontem), porque é véspera de jogo. Estamos estudando muito o Luverdense, a proposta tática e característica individual e também aguardo o departamento de fisiologia sobre a condição dos nossos jogadores. Sabemos que o Luverdense tem duas formas de jogar. No último jogo, contra o Cuiabá, eles (Luverdense) trabalharam no 4-4-2, mas normalmente o Junior (técnico do LEC) usa o 4-1-4-1. É um Jogo de xadrez e estamos vendo onde vamos colocar as peças dentro dessa análise. Tenho treino de hoje (ontem) para montar a equipe. Posso dizer com certeza que o jogador que entrar vai com sangue nos olhos, porque é uma oportunidade grande e queremos o título”, afirmou.

Fonte: ORM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúnciantes
Anúnciantes